Pulando o muro do paywall

Pulando o muro do paywall

Como acessar sites que cobram para ler o conteúdo... de graça, grátis, sem pagar...

Esli Silva
·Oct 12, 2022·

5 min read

Subscribe to my newsletter and never miss my upcoming articles

Play this article

O titulo é real, o subtitulo é só pra impressionar.

E se cobrassemos para que pudessem acessar um site de notícias? Normal. Exceto um "furo de reportagem", todos os exemplos restantes poderá se informar em qualquer outro site.

Em tempos (muito) atrás, era só esperar o radio/tv (grátis, com publicidade) ou comprar um outro jornal impresso mais barato. Reproduzimos online os mesmos formatos de receita de 100 anos atrás.

Até mesmo no furo de reportagem, algum outro veiculo irá posta-lo gratuitamente... logo, na internet (e após anos e anos da cultura de download pirata) não existe exclusividade, e com muita excessão poderá ter a referência da fonte...

Hoje, no mundo data/ads/Googled, a notícia que tentará ler não será a melhor, mas a que tiver o melhor SEO ou orçamento para ads.

Aí entra o Paywall. Bloquear o acesso ao site, exigindo um cadastro e uma assinatura mensal.

Surgiu em 1996 no The Wall Street Journal e popularizado por volta de 2010... Não é sucesso e não virou fracasso, mas muitos que tentaram adicionar, desistiram. O Times por exemplo, perdeu 60% do tráfego, porém aumentou a receita e não perdeu (muito) sua relevância.

Mas vamos a um rápido raciocinio cronológico dele:

  1. Os sites vendem espaços e adicionam publicidade. Uma versão realtime e online do impresso gerando receita.
  2. Diversos abusaram tanto que surgiu os bloqueadores de publicidade.
  3. Publicidade em sites de noticias(?), até que ponto o anunciante tem poder sobre o conteúdo?
  4. Paywall. Cobrar assinatura para ter acesso, uma receita menos comprometedora.
  5. Os sites adicionaram bloqueador de bloqueadores, um anti-bloqueador de ads.

Paywall

Paywall é um sistema de assinatura usado por jornais e outros veículos de comunicação digital que restringe o acesso aos não assinantes. É uma maneira desses veículos aumentarem suas receitas, seguindo uma tendência internacional que criou a medida depois da diminuição das versões impressas.

Paywall Hard e Soft

O "Hard" simplesmente é fechado para qualquer acesso. Precisa realmente de login ao conteudo. Porém, este não consegue ser indexado pelos buscadores.

O "Soft" é o paywall que só bloqueia o acesso ao usuário, através de JS no navegador. Os robots que indexam, tem acesso full ao texto, para conseguir rankear nas respostas do Google, por exemplo. A maioria antigamente, era só pressionar ESC antes de finalizar o carregamento do site...

O "Reader View" de alguns navegadores (Brave e Firefox) conseguem pular o paywall em alguns sites.

O Burlesco só funciona com este tipo de Paywall, soft.

Até 2017 o Google penalizava sites que usavam o paywall soft e não deixavam algum acesso gratuito (mínimo 2 páginas/notícias), devido ao cloaking. Por isto a maioria deles possuem ainda, acesso gratuito a notícias.

De acordo com o estudo de Felix Simon e Lucas Graves, mais de dois terços dos principais jornais (69%) na União Europeia e nos EUA estavam operando algum tipo de paywall em 2019.

Como burlar o paywall?

Após servir a página com o conteúdo, os sites de notícia incluem um JavaScript responsável por ocultar o texto.

A extensão Burlesco instrui o navegador a ignorar esses scripts, enquanto todos os outros scripts que controlam menus, infográficos e comentários continuam funcionando perfeitamente.

O conteúdo na verdade já é disponibilizado pelos próprios sites de notícia. Essa extensão apenas garante que os textos sejam exibidos de maneira legível. A única diferença é que, de forma conveniente, a extensão permite que o usuário leia o conteúdo diretamente em um navegador, ainda que esteja com o JavaScript habilitado.

Trata-se apenas de apenas uma conveniência para que o usuário determinado a ler uma notícia bloqueada não tenha que ficar alterando as configurações do navegador, usando o modo de navegação anônima ou apps de leitura offline.

Extensão Burlesco

O Burlesco burla o bloqueio dos maiores jornais do Brasil, que restringem o acesso às notícias quando você ultrapassa uma quantia mensal de acesso.

Instalação

Via TamperMonkey com o userscript

Nos browsers baseados no Chromium (Brave, Chrome e etc...) a forma mais rápida é instalando a extensão TamperMonkey e carregar o userscript do burlesco.

TamperMonkey ou diretamente na Chrome Web Store e carregando o userscript em: github.com/burlesco/userscript/blob/master/..

tampermonkey-burlesco.png

Extensão

No Firefox, basta adicionar a extensão mesmo ;-)

Smartphone

Precisará instalar o Firefox Mobile e adicionar a extensão.

Caso queira usar algum browser baseado no chrome, eu uso o Kiwi Browser, adicionei o TamperMonkey e carreguei o userscript.

Sites

Os seguintes sites são suportados:

BRPOLÍTICO

Correio 24 Horas

Correio Popular

Crusoé

Diário da Região

Diário do Grande ABC

Diário Popular

Diarinho

Diário de Canoas

Estado de Minas

Época

Exame

Folha de Londrina

Folha de S.Paulo

Gazeta do Povo

Gazeta Online

GaúchaZH

JOTA

Jornal NH

Jornal Pioneiro

Jornal VS

NSC Total

O Estado de S. Paulo

O Globo

Quatro Rodas

Seu Dinheiro

Superinteressante

UOL

Veja

O Burlesco só funciona com paywall soft, portanto, não é capaz de burlar os sites a seguir, que usam o paywall hard:

Acervo da Folha de S. Paulo

Acervo Estadão

Acervo Extra

Chronicle of Higher Education

Crusoé

Diário de Santa Maria

Flatout

Jornal O Popular

Le Monde Diplomatique Brasil

O Estado do Maranhão

Valor Econômico

Did you find this article valuable?

Support Esli Silva by becoming a sponsor. Any amount is appreciated!

See recent sponsors Learn more about Hashnode Sponsors